Frases de Miguel Torga

Immagine di Miguel Torga
Identikit e dados pessoais
Nome
Adolfo
Sobrenome
Correia da Rocha
Apelido
Miguel Torga
Nascido
12 Agosto 1907
Falecido
17 Janeiro 1995
Gênero
masculino
Nacionalidade
Portuguesa
Profissão
escritor, poeta
Signo do zodíaco
Leão
Frases, citações e aforismos de Miguel Torga
48 em português
Todas as frases de Miguel Torga
  • “Recomeça... se puderes, sem angústia e sem pressa e os passos que deres, nesse caminho duro do futuro, dá-os em liberdade, enquanto não alcances não descanses, de nenhum fruto queiras só metade.”
    Miguel Torga
  • “Mas, francamente: fé em quê? Num mundo que almoça valores, janta valores, ceia valores, e os degrada cinicamente, sem qualquer estremecimento da consciência? Peçam-me tudo, menos que tape os olhos. Bem basta quando a terra nos cobrir!”
    Miguel Torga
    [Tags:morte, valores]
  • “Foi bonito
    O meu sonho de amor.
    Floriram em redor
    Todos os campos em pousio.
    Um sol de Abril brilhou em pleno estio,
    Lavado e promissor.
    Só que não houve frutos
    Dessa primavera.
    A vida disse que era
    Tarde demais.
    E que as paixões tardias
    São ironias
    Dos deuses desleais.”

    Miguel Torga
    [Tags:amor, primavera]
  • “Não perturbes a paz que me foi dada. Ouvir de novo a tua voz seria matar a sede com água salgada.”
    Miguel Torga
  • “Os homens só me deram tristezas. Ou eu nunca os entendi, ou eles nunca me entenderam.”
    Miguel Torga
  • “Mais um ano. Mais um palmo a separar-me dos outros, já que a vida não passa de um progressivo distanciamento de tudo e de todos, que a morte remata.”
    Miguel Torga
    [Tags:aniversário, anos]
  • “A unidade de uma pessoa é tal, que basta um gesto para revelar um homem.”
    Miguel Torga
  • “Ter um destino é não caber no berço onde o corpo nasceu, é transpor as fronteiras uma a uma e morrer sem nenhuma.”
    Miguel Torga
  • “Vou tentar ser bom marido, cumpridor. Mas quero que saibas, enquanto é tempo, que em todas as circunstâncias te troco por um verso.”
    Miguel Torga
  • “A intimidade desta vida de aldeia é um espectáculo ao mesmo tempo repugnante e maravilhoso. Estrume da cabeça aos pés. Entre o porco e o dono não há destrinça. Mas, ao cabo, esta animalidade toda, de tão natural, acaba por ser pura e limpa como a bosta de boi.”
    Miguel Torga
  • “Viajar, num sentido profundo, é morrer. É deixar de ser manjerico à janela do seu quarto e desfazer-se em espanto, em desilusão, em saudade, em cansaço, em movimento, pelo mundo além.”
    Miguel Torga
  • “Em termos absolutos, o homem é um valor imponderável, inteiro e perfeito como um dogma. Mas em termos relativos, sociais, o homem é o que vale para os seus semelhantes. E é na contradição de medida que vai de próximo a próximo que consiste o drama de ninguém conseguir ser ao mesmo tempo amado em Tebas e Atenas.”
    Miguel Torga
  • “Recomeçar

    Recomeça....
    Se puderes
    Sem angústia
    E sem pressa.
    E os passos que deres,
    Nesse caminho duro
    Do futuro
    Dá-os em liberdade.
    Enquanto não alcances
    Não descanses.
    De nenhum fruto queiras só metade.

    E, nunca saciado,
    Vai colhendo ilusões sucessivas no pomar.
    Sempre a sonhar e vendo
    O logro da aventura.
    És homem, não te esqueças!
    Só é tua...” (continue)
    (continue lendo)
    Miguel Torga
  • “Livre não sou, que nem a própria vida
    Mo consente.
    Mas a minha aguerrida
    Teimosia
    É quebrar dia a dia
    Um grilhão da corrente.
    Livre não sou, mas quero a liberdade.
    Trago-a dentro de mim como um destino.
    E vão lá desdizer o sonho do menino
    Que se afogou e flutua
    Entre nenúfares de serenidade
    Depois de ter a lua!”

    Miguel Torga
    [Tags:liberdade, sonhos]
  • “Só havia três coisas sagradas na vida: a infância, o amor e a doença. Tudo se podia atraiçoar no mundo, menos uma criança, o ser que nos ama e um enfermo. Em todos esses casos a pessoa está indefesa.”
    Miguel Torga
  • “Mas a vida é uma coisa imensa, que não cabe numa teoria, num poema, num dogma, nem mesmo no desespero inteiro dum homem.”
    Miguel Torga
    [Tags:existência, viver]
  • “Os deuses teimam em fazer-me sentir que sou homem.O erro deles é cuidarem que eu quero ser outra coisa.”
    Miguel Torga
  • “Que não encontra justificação para o seu pecado mortal, que é viver. Viver ao sol, gratuitamente, como um lagarto.”
    Miguel Torga
  • “Que belo e que natural é ter um amigo!”
    Miguel Torga
  • “Todo o semeador semeia contra o presente.”
    Miguel Torga
  • “O que sou toda a gente é capaz de ver; Mas o que ninguém é capaz de imaginar é até onde sou e como.”
    Miguel Torga
  • “Que belo é ter um amigo! Ontem eram ideias contra ideias. Hoje é este fraterno abraço a afirmar que acima das ideias estão os homens. Um sol tépido a iluminar a paisagem de paz onde esse abraço se deu, forte e repousante. Que belo e que natural é ter um amigo!”
    Miguel Torga
  • “Não posso. Passar a vida assim, a jogar a bisca com o prior, a levantar-me às tantas da madrugada para ir ver um doente ao Gandramás, a ouvir e a contar histórias de caça o resto do tempo, valha eu o que valer, é um destino que não mereço.”
    Miguel Torga
    [Tags:medo, segurança, vida]
  • “Hoje declarei em casa de uns amigos que a maior prova de amor que um poeta pode dar a uma mulher é a sua intimidade. Escrever versos diante dela é qualquer coisa como parir com um Cristo à cabeceira da cama.”
    Miguel Torga
  • “O que é pena é que neste areal da vida, onde cada um segue o seu caminho, não haja nem tolerância nem humildade para respeitar o norte que o vizinho escolheu.”
    Miguel Torga
  • “O mundo é uma realidade universal, desarticulada em bilhões de realidades individuais.”
    Miguel Torga
  • “Ou a nossa amizade é realmente muito forte, ou isto é um deserto tão deserto que um homem quando agarra uma palmeira não a larga mais.”
    Miguel Torga
  • “Um dos meus sete pecados mortais: a sede de amor absoluto que me devora.”
    Miguel Torga
    [Tags:amor, desejo, paixão]
  • “Porque não tentava eu dar forma capaz a tudo quanto dizia, que era realmente belo? Porque não. Porque um homem não se escreve.”
    Miguel Torga
  • “É espantosa a tendência do português para a promiscuidade! Chega a umas termas, senta-se, volta-se para o vizinho da direita e, sem dizer água-vai, conta-lhe a vida.”
    Miguel Torga
  • “Quanto maior é um romance ou um poema, mais a sua magia nos separa da mão de barro que o escreveu.”
    Miguel Torga
    [Tags:magia, poema, romances]
  • “Tenho a impressão de que certas pessoas, se soubessem exatamente o que são e o que valem na verdade, endoideciam. De que, se no intervalo da embófia e da importância pudessem descer ao fundo do poço e ver a pobreza franciscana que lá vai, pediam a Deus que as metesse pela terra dentro.”
    Miguel Torga
  • “Quando um homem tem dentro de si uma verdade que quer ouvidos, até peixes lhe servem para auditório. Santo António que o diga...”
    Miguel Torga
  • “É escusado: não há, de facto, progresso moral. Eu arda, se este meu amigo, sob o ponto de vista do respeito que se deve ao semelhante como homem, não está exactamente ao nível do mais reles e sinistro habitante das cavernas!”
    Miguel Torga
  • “Há livros que são no mundo como almas penadas. Andam, andam, tropeçam através de séculos pela obscuridade e pelo sofrimento, até que um dia apareça alguém que os tire do limbo do esquecimento. E isto, parecendo que não, dá esperança...”
    Miguel Torga
  • “Os homens são como as obras de arte: é preciso que se não entenda tudo delas duma só vez.”
    Miguel Torga
  • “Estes meus contemporâneos lembram-me certos arbustos que nascem no côncavo de uma rocha, onde só uma rasa de terra é o possível pasto de qualquer avidez. Vivem de vagar, cautelosamente, não vá uma raiz mais imprudente consumir numa hora o que há-de ser comido em oitenta anos.”
    Miguel Torga
  • “Em Portugal, as pessoas são imbecis ou por vocação, ou por coação, ou por devoção.”
    Miguel Torga
  • “Não me sinto um destruidor; o que quero é que tudo nasça com a força que as coisas verdadeiras e naturais merecem, e que o ranço velho não estrague o azeite novo.”
    Miguel Torga
  • “O poeta é um rebelde que sabe que a poesia só subverte porque transfigura.”
    Miguel Torga
  • “O que é bonito neste mundo, e anima, é ver que na vindima de cada sonho fica a cepa a sonhar outra aventura. E que a doçura que não se prova se transfigura noutra doçura muito mais pura e muito mais nova.”
    Miguel Torga
    [Tags:aventura, sonhos]
  • “Tantas formas revestes, e nenhuma
    Me satisfaz!
    Vens às vezes no amor, e quase te acredito.
    Mas todo o amor é um grito
    Desesperado
    Que apenas ouve o eco...”

    Miguel Torga
    [Tags:amor, desespero]
  • “Que o fazem capaz em todo o mundo, mas incapaz no seu mundo. Daí não ter possivelmente grandes coisas para exprimir, a não ser o lirismo de ser assim.”
    Miguel Torga
    [Tags:comunicar]
  • “Olhei noutro sentido, e pude, deslumbrado,
    Saborear, enfim,
    O pão da minha fome.
    —Liberdade, que estais em mim,
    Santificado seja o vosso nome.”

    Miguel Torga
    [Tags:fome, liberdade, pão]
  • “Agora,
    o remédio é partir discretamente,
    sem palavras,
    sem lágrimas,
    sem gestos.
    De que servem lamentos e protestos,
    contra o destino?”

    Miguel Torga
    [Tags:destino, partir]
  • “A vida afetiva é a única que vale a pena. A outra apenas serve para organizar na consciência o processo da inutilidade de tudo.”
    Miguel Torga
  • “Não tens preço na terra dos humanos,
    Nem o tempo te rói.
    És a essência dos anos,
    O que vem e o que foi.”

    Miguel Torga
    [Tags:tempo]
  • “A maior desgraça que pode acontecer a um artista é começar pela literatura, em vez de começar pela vida.”
    Miguel Torga
Em destaque