Frases de Florbela Espanca

Immagine di Florbela Espanca
Identikit e dados pessoais
Nome
Flor Bela
Sobrenome
de Alma da Conceição Espanca
Apelido
Florbela Espanca
Nascido
8 Dezembro 1894
Falecido
8 Dezembro 1930
Gênero
feminino
Nacionalidade
Portuguesa
Profissão
poeta
Signo do zodíaco
Sagitário
Frases, citações e aforismos de Florbela Espanca
47 em português
Todas as frases de Florbela Espanca
  • “Sou aquele que passa e ninguém vê... Sou a que chamam triste sem o ser... Sou a que chora sem saber porquê... Sou talvez a visão que alguém sonhou, alguém que veio ao mundo pra me ver, e que nunca na vida me encontrou!”
    Florbela Espanca
  • “Há uma primavera em cada vida: é preciso cantá-la assim florida, pois se Deus nos deu voz, foi para cantar! E se um dia hei-de ser pó, cinza e nada que seja a minha noite uma alvorada, que me saiba perder... para me encontrar.”
    Florbela Espanca
  • “Não és sequer a razão de meu viver, pois que tu és já toda a minha vida.”
    Florbela Espanca
  • “E se um dia hei de ser pó, cinza e nada, que seja minha noite uma alvorada, que eu saiba me perder para me encontrar...”
    Florbela Espanca
  • “Deixa dizer-te os lindos versos raros
    Que a minha boca tem pra te dizer!
    São talhados em mármore de Paros
    Cinzelados por mim pra te oferecer.”

    Florbela Espanca
  • “A ironia é a expressão mais perfeita do pensamento.”
    Florbela Espanca
  • “O meu mundo não é como o dos outros, quero demais, exijo demais, há em mim uma sede de infinito, uma angústia constante que nem eu mesma compreendo, pois estou longe de ser uma pessimista; sou antes uma exaltada, com uma alma intensa, violenta, atormentada, uma alma que não se sente bem onde está, que tem saudade... sei lá de quê!””
    Florbela Espanca
  • “Teus olhos têm uma cor
    de uma expressão tão divina,
    tão misteriosa e triste.
    Como foi a minha sina!!!
    É uma expressão de saudade
    vagando num mar incerto.
    Parecem negros de longe...
    Parecem azuis de perto...
    Mas nem negros nem azuis
    são teus olhos meu amor...
    Seriam da cor da mágoa,
    se a mágoa tivesse cor.”

    Florbela Espanca
  • “Quem me dera encontrar o verso puro,
    O verso altivo e forte, estranho e duro,
    Que dissesse a chorar isto que sinto!”

    Florbela Espanca
  • “Perdoo facilmente as ofensas, mas por indiferença e desdém: nada que me vem dos outros me toca profundamente.”
    Florbela Espanca
  • “Tão pobres somos que as mesmas palavras nos servem para exprimir a mentira e a verdade.”
    Florbela Espanca
  • “Os dias são outonos: choram... choram...
    Há crisântemos roxos que descoram,
    Há murmúrios dolentes de segredos.
    Invoco o nosso sonho! Estendo os braços!
    E ele é, o meu amor, pelos espaços,
    Fumo leve que foge entre os meus dedos!”

    Florbela Espanca
  • “Quem nos deu asas para andar de rastos?
    Quem nos deu olhos para ver os astros
    Sem nos dar braços para os alcançar?”

    Florbela Espanca
  • “Ama-se quem se ama e não quem se quer amar.”
    Florbela Espanca
    [Tags:amar, destino]
  • “Estou cansada, cada vez mais incompreendida e insatisfeita comigo, com a vida e com os outros. Diz-me, porque não nasci igual aos outros, sem dúvidas, sem desejos de impossível? E é isso que me traz sempre desvairada, incompatível com a vida que toda a gente vive.”
    Florbela Espanca
  • “Pois de que falam os homens?! Que será que lhes põe nos olhos aquele brilho infernal, nas bocas aquela ruga, mais ou menos acentuada, de cobiça?! A febre dos negócios?... Os sonhos de glória? Ambições? Invejas? Não! Mulheres, unicamente.”
    Florbela Espanca
    [Tags:homens, mulheres]
  • “Para quê alcançar os astros!? Para quê!? Para os desfolhar, por exemplo, como grandes flores de luz! Vê-los, vê-os toda a gente. De que serve então ser poeta se se é igual à outra gente toda, ao rebanho?”
    Florbela Espanca
    [Tags:dúvida, poeta]
  • “Sou uma céptica que crê em tudo, uma desiludida cheia de ilusões, uma revoltada que aceita, sorridente, todo o mal da vida, uma indiferente a transbordar de ternura.”
    Florbela Espanca
  • “Olha para mim, amor, olha para mim;
    Meus olhos andam doidos por te olhar!
    Cega-me com o brilho de teus olhos
    Que cega ando eu há muito por te amar.”

    Florbela Espanca
  • “Sonho... que eu e tu, dois pobrezinhos,
    Andamos de mãos dadas, nos caminhos
    Duma terra de rosas, num jardim,
    Num país de ilusão que nunca vi...”

    Florbela Espanca
  • “Por aquela tão doce
    e tão breve ilusão
    Embora nunca mais
    Depois de que a vi desfeita
    Eu volte a ser quem fui
    Sem ironia aceita
    A minha gratidão”

    Florbela Espanca
  • “Hoje a minha sede de infinito é maior do que eu, do que o mundo, do que tudo, e o meu espiritualismo ultrapassa o céu.”
    Florbela Espanca
  • “Meus êxtases, meus sonhos, meus cansaços...
    São os teus braços dentro dos meus braços,
    Via Láctea fechando o Infinito.”

    Florbela Espanca
  • “Amo-te tanto. E nunca te beijei... E nesse beijo, amor, que eu não te dei, guardo os versos mais lindos que te fiz.”
    Florbela Espanca
    [Tags:amar, beijo, ilusão, sonhar]
  • “A vida é sempre a mesma para todos: rede de ilusões e desenganos. O quadro é único, a moldura é que é diferente.”
    Florbela Espanca
  • “Sonho que sou Alguém cá neste mundo...
    Aquela de saber vasto e profundo,
    Aos pés de quem a Terra anda curvada!”

    Florbela Espanca
  • “Li um dia, não sei onde,
    Que em todos os namorados
    Uns amam muito, e os outros
    Contentam-se em ser amados.”

    Florbela Espanca
  • “Eu não sou boa nem quero sê-lo, contento-me em desprezar quase todos, odiar alguns, estimar raros e amar um.”
    Florbela Espanca
  • “Gosto da noite imensa,
    triste, preta, como esta estranha borboleta
    Que eu sinto sempre a voltejar em mim!”

    Florbela Espanca
    [Tags:inquietude, noite]
  • “Sou talvez a visão que alguém sonhou
    Alguém que veio ao mundo pra me ver
    E que nunca na vida me encontrou.”

    Florbela Espanca
  • “Se penetrássemos o sentido da vida seríamos menos miseráveis.”
    Florbela Espanca
    [Tags:compreender, vida]
  • “Ser poeta é ser mais alto.”
    Florbela Espanca
  • “No gelo da indiferença ocultam-se as paixões.”
    Florbela Espanca
  • “Longe de ti são ermos os caminhos.”
    Florbela Espanca
    [Tags:amor, saudades]
  • “Minha alma de buscar-te anda perdida
    Os meus olhos andam cegos de te ver
    Porque nao és sequer a razão do meu viver
    Já que tu és toda a minha vida....”

    Florbela Espanca
    [Tags:amar, paixão, saudades]
  • “Guardo carinhosamente a promessa da sua visita. Que não fique apenas em promessa... Depressa, sim?”
    Florbela Espanca
    [Tags:amar, promessas]
  • “É pensando nos homens que eu perdoo aos tigres as garras que dilaceram.”
    Florbela Espanca
  • “Eu quero amar, amar perdidamente. Amar só por amar.”
    Florbela Espanca
    [Tags:amar, amor]
  • “Escreve-me! Ainda que seja só
    Uma palavra, uma palavra apenas,
    Suave como o teu nome e casta
    Como um perfume casto d'’açucenas!”

    Florbela Espanca
  • “Quero voltar! Não sei por onde vim…
    Ah! Não ser mais que a sombra duma sombra
    Por entre tanta sombra igual a mim!”

    Florbela Espanca
  • “Eu tecerei uns sonhos irreais... Como essa mãe que viu o filho partir; como esse filho que não voltou mais!”
    Florbela Espanca
    [Tags:filhos, mãe, saudades]
  • “Quantas vezes? Amor, já te esqueci, para mais doidamente me lembrar.. mais doidamente me lembrar de ti...”
    Florbela Espanca
  • “Fez muito bem em ter dormido como um anjo, pois a causa da insónia seria uma ilusão como muitas...”
    Florbela Espanca
    [Tags:ilusão, insónia]
  • “Diz-me, por que não nasci igual aos outros, sem dúvidas, sem desejos de impossível?”
    Florbela Espanca
  • “Trago no olhar visões extraordinárias, de coisas que abracei de olhos fechados.”
    Florbela Espanca
    [Tags:sentidos, sentir]
  • “Beijos d'amor que vão de boca em boca,
    Como pobres que vão de porta em porta!”

    Florbela Espanca
    [Tags:amar, beijo, sofrimento]
  • “Se alguém disser que pode amar uma pessoa a vida inteira, é porque mente!”
    Florbela Espanca
    [Tags:amar, ilusão, mentiras]
Em destaque