Frase de Mary Shelley Frases de Mary Shelley
  • “Não preciso descrever os sentimentos daqueles cujos laços mais preciosos destroem-se por esse mal irreparável, o vazio que se apresenta à alma, e o desespero que as fisionomias revelam. Foi preciso muito tempo para que nos convencêssemos de que aquela que víamos todos os dias e cuja existência partira para sempre - que o brilho de olhos adorados se extinguira, que o som de uma voz tão familiar e querida fora silenciado e nunca mais voltaria a ser ouvido. Costumam ser essas as reflexões nos primeiros dias; mas, quando o correr do tempo comprova a realidade do infortúnio, é então que começa o real amargor do sofrimento. Quem nunca teve, porém, algum ente querido arrebatado pela mão inclemente? E por que eu haveria de descrever um pesar que todos conhecem e que não têm como evitar? Chega, enfim, o momento em que o sofrimento é antes uma indulgência que uma necessidade; e o sorriso que brinca em nossos lábios, mesmo que seja condenado como um sacrilégio, não é banido. Minha mãe estava morta, mas nós ainda tínhamos nossas obrigações a cumprir; tínhamos que prosseguir em nosso caminho com os que haviam ficado e refletir que, afinal, havíamos tido sorte, pois a nós a morte poupara.”
    Mary Shelley
Detalhes da frase livro (Frankenstein)

07/10/2016 às 00:01
Avaliação médiaexcelente1Curiosidades 1401
1193
Avaliação médiaexcelente1
Comentários sobre a frase
Frases relacionadas
Em destaque