Fragmentos de Um Discurso Amoroso

Livro Fragmentos de Um Discurso Amoroso
Título: Fragmentos de Um Discurso Amoroso
Título original: Fragments d’un discours amoureux
Autor:Roland Barthes
Ano de lançamento: 1977
  • “De amor não falemos. De que serviria dar nome ao que encerra somente o equívoco? Somos e não somos sós. E depois ser só não é ser só. Não estamos sós. Temo-nos um ao outro na distância e na ausência, que são só acidentes e nada de essencial atingem. Temo-nos no que ficou do fugidio encontro, na ternura renovada que nos inventamos ou recriamos....” (continue)(continue lendo)
    Roland Barthes
  • “Na distância imprecisa, meu amor, ignoramos de nós sequer a latitude.”
    Roland Barthes
    [Tags:amor, distância]
  • “Tento recordar teu rosto, nome. Curioso, como às vezes nos escapam os traços da pessoa amada. Situo-te num passado já distante. Não te imagino num presente.De ti resta-me o que foste comigo.E foste – me ternura e descoberta do meu corpo, de minhas mãos até então inábeis que ensinaste a acariciar teus cabelos, a sentir teu corpo; e ainda...” (continue)(continue lendo)
    Roland Barthes
  • “Ciúme: Sentimento que nasce no amor e que é produzido pelo medo que a pessoa amada prefira um outro.”
    Roland Barthes
    [Tags:ciúme]
  • “Encontro pela vida milhões de corpos; desses milhões posso desejar centenas; mas dessas centenas, amo apenas um. O outro pelo qual estou apaixonado me designa a especialidade do meu desejo.”
    Roland Barthes
  • “Como termina um amor? – O quê? Termina? Em suma ninguém – exceto os outros – nunca sabe disso; uma espécie de inocência mascara o fim dessa coisa concebida, afirmada, vivida como se fosse eterna.”
    Roland Barthes
    [Tags:amor, fim]
  • Ao longo de uma vida, todos os “fracassos” de amor se parecem (pudera: procedem todos da mesma falha). X… e Y… não souberam (puderam, quiseram) responder ao meu “pedido”, aderir à minha “verdade”; não mexeram uma vírgula do seu sistema; para mim, um não fez senão repetir o outro. E, entretanto, X… e Y… são incomparáveis; é da diferença entre... (continue)(continue lendo)
    Roland Barthes
    [Tags:amor, fim]
  • “Eu sofro a tua ausência te quero sonho com você para você contra você me responde teu nome é um perfume espalhado.”
    Roland Barthes
  • “Ninguém tem vontade de falar de amor, se não for para alguém.”
    Roland Barthes
  • “Como ciumento sofro quatro vezes: porque sou ciumento, porque me reprovo de sê-lo, porque temo que meu ciúme machuque o outro, porque me deixo dominar por uma banalidade: sofro por ser excluído, por ser agressivo, por ser louco e por ser comum.”
    Roland Barthes
    [Tags:ciúme, sofrimento]
Em destaque