Frases de Ricardo Reis

Immagine di Ricardo Reis
Identikit e dados pessoais
Nome
Fernando António
Sobrenome
Nogueira de Seabra Pessoa
Apelido
Ricardo Reis
Gênero
masculino
Nacionalidade
brasileira
Frases, citações e aforismos de Ricardo Reis
13 em português
Todas as frases de Ricardo Reis
  • “Muitas vezes precisamos ser iguais ao golfinho, sair de nosso mundo apenas por instinto e sem perder nossas origens.”
    Ricardo Reis
  • “Coroai-me de rosas,
    Coroai-me em verdade,
    De rosas —
    Rosas que se apagam
    Em fronte a apagar-se
    Tão cedo!

    Coroai-me de rosas
    E de folhas breves.
    E basta.”

    Ricardo Reis
  • “Acima da verdade estão os deuses. A nossa ciência é uma falhada cópia. Da certeza com que eles sabem que há o Universo. Tudo é tudo, e mais alto estão os deuses, não pertence à ciência conhecê-los, mas adorar devemos. Seus vultos como às flores, Porque visíveis à nossa alta vista, são tão reais como reais as flores E no seu calmo Olimpo. São...” (continue)(continue lendo)
    Ricardo Reis
  • “Aquele momento em que subimos nossos olhos ao céu pra não deixar cair uma lágrima no chão.”
    Ricardo Reis
    [Tags:chorar]
  • “Nada fica de nada. Nada somos.
    Um pouco ao sol e ao ar nos atrasamos
    Da irrespirável treva que nos pese
    Da humilde terra imposta,
    Cadáveres adiados que procriam.

    Leis feitas, estátuas vistas, odes findas —
    Tudo tem cova sua. Se nós, carnes
    A que um íntimo sol dá sangue, temos
    Poente, por que não elas?
    Somos contos contando contos, nada.”

    Ricardo Reis
  • “No ciclo eterno das mudáveis coisas
    Novo inverno após novo outono volve
    À diferente terra
    Com a mesma maneira.
    Porém a mim nem me acha diferente
    Nem diferente deixa-me, fechado
    Na clausura maligna
    Da índole indecisa.
    Presa da pálida fatalidade
    De não mudar-me, me infiel renovo
    Aos propósitos mudos
    Morituros e infindos.”

    Ricardo Reis
  • “Aguardo, equânime, o que não conheço —
    Meu futuro e o de tudo.
    No fim tudo será silêncio, salvo
    Onde o mar banhar nada.
    Aqui, dizeis
    Aqui, dizeis, na cova a que me abeiro,
    Não 'stá quem eu amei. Olhar nem riso
    Se escondem nesta leira.
    Ah, mas olhos e boca aqui se escondem!
    Mãos apertei, não alma, e aqui jazem.
    Homem, um corpo choro!
    Aqui.” (continue)
    (continue lendo)
    Ricardo Reis
    [Tags:morrer, morte]
  • “Cada dia sem gozo não foi teu
    Foi só durares nele. Quanto vivas
    Sem que o gozes, não vives.
    Não pesa que amas, bebas ou sorrias:
    Basta o reflexo do sol ido na água
    De um charco, se te é grato.
    Feliz o a quem, por ter em coisas mínimas
    Seu prazer posto, nenhum dia nega
    A natural ventura!”

    Ricardo Reis
    [Tags:prazer, viver]
  • “Temo, Lídia, o destino. Nada é certo.
    Em qualquer hora pode suceder-nos
    O que nos tudo mude.
    Fora do conhecido é estranho o passo
    Que próprio damos. Graves numes guardam
    As lindas do que é uso.
    Não somos deuses; cegos, receemos,
    E a parca dada vida anteponhamos
    À novidade, abismo.”

    Ricardo Reis
    [Tags:destino, novidade]
  • “A flor que és, não a que dás, eu quero.
    Porque me negas o que te não peço.
    Tempo há para negares
    Depois de teres dado.
    Flor, sê-me flor! Se te colher avaro
    A mão da infausta esfinge, tu perere
    Sombra errarás absurda,
    Buscando o que não deste.”

    Ricardo Reis
    [Tags:flores]
  • “Breve o dia, breve o ano, breve tudo.
    Não tarda nada sermos.
    Isto, pensado, me de a mente absorve
    Todos mais pensamentos.
    O mesmo breve ser da mágoa pesa-me,
    Que, inda que mágoa, é vida.”

    Ricardo Reis
  • “Amemo-nos tranquilamente, pensando que podíamos,
    Se quiséssemos, trocar beijos e abraços e carícias,
    Mas que mais vale estarmos sentados ao pé um do outro
    Ouvindo correr o rio e vendo-o.”

    Ricardo Reis
    [Tags:amar, beijo]
  • “Aos que a felicidade
    É sol, virá a noite.
    Mas ao que nada ‘espera
    Tudo que vem é grato.”

    Ricardo Reis
Em destaque